Quanto você paga na conta de luz?

Em um contexto econômico, sanitário e climático cada vez mais crítico, os brasileiros têm pagado muito caro pela geração de energia elétrica. Sem previsão de baixa nos preços e nas bandeiras tabeladas para economizar na conta de luz no ano de 2022.

Conforme projeções da empresa de tecnologia TR Soluções, especialista no setor elétrico, as tarifas devem aumentar em 19% neste ano. Já o prognóstico da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) é que ocorra uma alta de 21,04% na média nacional de reajuste, em igual período.

Diante desse cenário nada animador, como proprietários e empreendedores podem (re)equilibrar o orçamento? Haveria alguma alternativa que garantisse o fornecimento de energia, sem maiores prejuízos?

Para responder essas e outras questões, o blog da AALOK preparou esse post para você. Continue a leitura e descubra como economizar mais de 90% na conta de energia do seu negócio.

Bons motivos para adotar um sistema fotovoltaico 

Se você está buscando uma solução inovadora em geração de energia, que seja eficiente e financeiramente viável, o sistema fotovoltaico é a resposta. E há ótimas razões que justificam essa escolha.

Diferente das hidrelétricas e das termelétricas, esse sistema utiliza a radiação solar, uma fonte de energia sustentável e renovável, com menor impacto socioambiental. O que se traduz na redução da emissão de gases poluentes e das taxas de carbono. Bem como na permanência das comunidades locais em seus territórios.

Os painéis fotovoltaicos não sofrem com riscos constantes de apagão. Tampouco com o racionamento de eletricidade causado pelo colapso hídrico das usinas hidrelétricas do país. 

Além disso, a energia solar em indústrias e demais estabelecimentos cria um Sistema de Compensação de Energia Elétrica. De modo que seu consumo é compensado com o que seu sistema fotovoltaico gerou. 

Em caso de excedentes, a energia transforma-se em crédito e você pode utilizá-lo como desconto na fatura de outro imóvel.

Analisando as vantagens da energia solar em números

Para visualizar os benefícios da energia solar, é preciso entender sobre a medição de consumo.

Com a implementação do sistema fotovoltaico, sua nova fatura trará termos como “geração distribuída” e “energia injetada”. Eles definem, respectivamente, a quantidade de energia elétrica consumida (kWh), com o valor em reais, e o que foi produzido pelas placas solares.

Nessa soma entram ainda: 

  • a tarifa de uso do sistema de distribuição (TUSD); 
  • o custo por estar ligado à rede elétrica (TE);
  • o adicional ligado às bandeiras, conforme a cor (vermelha 1, vermelha 2, amarela ou verde);
  • e a contribuição para iluminação pública (variável segundo perfil do imóvel).

Embora pareça complexo, essa conta funciona de forma simples e traz uma economia significativa para as empresas. Principalmente se a produção de energia dos painéis solares for igual ou maior que seu consumo na rede elétrica de distribuição. 

Nesse caso, o sistema fotovoltaico reduz gastos com energia quase a zero reais (lembre-se dos adicionais a serem pagos). Um decréscimo em torno de 95% no valor total da conta.

Ademais, o retorno de investimento (aquisição de equipamentos e instalação) é inversamente proporcional ao aumento das tarifas energéticas. Isto é, quanto mais elevado o custo, mais rápido o payback.

Considere, por exemplo, um estabelecimento comercial com consumo mensal de 13.000 kWh. Ao adotar energia solar, a fatura passou de 13 mil reais para R$ 400. Com o que for produzido em 12 meses, o payback poderá ser reduzido de cinco anos, tempo médio de retorno, para 2,6 anos.

Agora imagine a economia a longo prazo, levando em conta os 30 anos de vida útil desse sistema. Sem dúvidas, um diferencial no orçamento do seu negócio, concorda?

Por essas e demais vantagens, o projeto fotovoltaico apresenta-se como recurso atrativo e competitivo, de excelente custo-benefício no mercado. Contate o time de atendimento da AALOK e faça você também esse investimento.

Desenvolvido por: ADEMAIS